Aquivo do autor: cristina

GNR – Sensibilização Incêndios Florestais

O Comando Territorial de Viseu, desde o início do corrente ano, no distrito de Viseu, deteve três cidadãos e identificou outros 16, por suspeitas da prática do crime de incêndio rural.
A grande maioria dos incêndios registados tiveram origem aquando da execução de queimas de sobrantes de exploração. Apesar das queimas não estrem proibidas, apenas necessitando de serem comunicadas às Câmaras Municipais, alerta-se para o aumento considerável das temperaturas nos próximos dias, que, aleadas à diminuição considerável da humidade relativa dos combustíveis, podem criar condições favoráveis para o descontrolo das queimas e propagação do fogo aos combustíveis adjacentes originando incêndios.
Considerando que as principais causas dos incêndios até agora validados estão intimamente ligadas com a atividades de gestão de combustível e de renovação de pastagens, apela-se aos cuidados necessários por quem tem de executar estas atividades, sendo que, o Comando Territorial de Viseu vai manter uma vigilância próxima nas zonas florestais, empenhando diversas capacidades e valências, por forma forma a reduzir o número de ocorrências desta natureza.
A proteção da nossa floresta e de todo o meio ambiente depende de todos nós, sendo decisivo o papel de cada cidadão.
Colabore para um Portugal sem fogos.

ABERTURA DAS FRONTEIRAS

Em nota divulgada à Comunicação Social o Gabinete da Administração Interna informa que Portugal e Espanha vão manter, até ao dia 30 de junho, o controlo de pessoas nas fronteiras entre os dois países, no âmbito das medidas de combate à pandemia da doença COVID-19.
A decisão de manter esta reposição de controlo nas fronteiras, a título excecional e temporário, foi concertada entre o Governo da República Portuguesa e o Governo do Reino de Espanha, e resulta da avaliação da situação epidemiológica na União Europeia, atendendo igualmente às medidas propostas pela Comissão Europeia.
Aos Pontos de Passagem Autorizados (PPA) já previstos anteriormente, Portugal e Espanha acordaram a abertura de mais quatro, nos dias úteis, entre as 7h00 e as 21h00:
– Melgaço, Lugar do Peso, km 19,800, EN 202;
– Monção, Avenida da Galiza, km 15,300, EN 101;
– Miranda do Douro, km 86,990, EN 218;
– Vila Nova de Cerveira, km 104,500, EN 13.
Estes quatro novos Pontos de Passagem Autorizados juntam-se a Valença, Vila Verde da Raia, Quintanilha, Vilar Formoso, Termas de Monfortinho, Marvão, Caia, Vila Verde de Ficalho e Castro Marim, que funcionam em permanência.
Para além destes PPA, já tinham sido autorizados recentemente os PPA de Mourão (que funciona nos dias úteis, das 07h00 às 09h00 e das 18h00 horas às 20h00), de Rio de Onor (às quartas-feiras e aos sábados, das 10h00 às 12h00), de Tourém (às segundas-feiras e às quintas-feiras, das 6h00 às 8h00 e das 17h00 às 19h00) e de Barrancos (às segundas-feiras e às quintas-feiras, das 6h00 às 8h00 e das 17h00 às 19h00).
O acordo mantém suspensos todos os voos com origem ou destino para Espanha, com exceção das aeronaves do Estado, das Forças Armadas, das que integram o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais, bem como voos para transporte de carga e correio, voos de caráter humanitário ou de emergência médica.  Passa a ser autorizada a entrada de passageiros oriundos de países europeus não pertencentes ao Espaço Schengen, exceto quando em trânsito para outros países onde não têm liberdade de circulação.
Mantém-se igualmente suspensa a circulação ferroviária, exceto para o transporte de mercadorias, e o transporte fluvial entre os dois países. Passa, no entanto, a ser possível a atracagem de embarcações de recreio e o desembarque de pessoas.
Mantém-se também proibida a circulação rodoviária, independentemente do tipo de veículo, com as seguintes exceções:
– Direito de entrada dos cidadãos nacionais e dos titulares de autorização de residência nos respetivos países;
– Circulação do pessoal diplomático, das Forças Armadas, das Forças e Serviços de Segurança, profissionais de saúde e socorro, do pessoal afeto ao Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais;
– Circulação para efeitos de reunião familiar;
– Acesso a unidades de saúde, nos termos de acordos bilaterais relativos à prestação de cuidados de saúde;
– Direito de saída dos cidadãos residentes noutro país;
– Direito de entrada e de saída do território nacional dos trabalhadores sazonais com relação laboral comprovada documentalmente.
Tal como nos períodos anteriores em que foi reposto o controlo da fronteira interna, esta decisão de prorrogação é reavaliada a cada 10 dias.

MANGUALDE APRESENTA MOSTRA SOCIAL VIRTUAL até dia 19 de junho

A Mostra Social – Mostra de Serviços de Apoio Social e Potencialidades do Concelho de Mangualde, organizada pela Câmara Municipal de Mangualde, acontece com o intuito de promover e de valorizar as diversas ofertas sociais que o Município possui. Este ano, tendo em conta o contexto pandémico vivido, a mostra é virtual com uma forte oferta digital. Com início no passado dia 13, realiza-se até 19 de junho, nas redes sociais da Câmara Municipal, sempre de participação gratuita.
De forma a divulgar junto da comunidade o meritório trabalho desenvolvido pelas instituições parceiras que marcariam presença neste evento e as suas atividades, está a realizar-se uma “Mostra Social Virtual”. O objetivo da mostra social é divulgar a oferta social existente no concelho, promovendo as atividades das instituições, os seus mecanismos de intervenção e a cooperação institucional, valorizar e divulgar os serviços e os projetos existentes na área social no município, promover o seu conhecimento junto da população e reforçar e consolidar a cultura de rede e de parcerias abertas e eficazes.
A vereadora da Ação Social sublinha que “apesar do momento excecional que vivemos não nos permitir estar juntas/os, não pudemos deixar de marcar presença com uma Mostra Virtual. O nosso maior objetivo é homenagear, divulgar, valorizar e reconhecer todos os parceiros da Rede Social no sentido de promover as atividades das instituições, os seus mecanismos de intervenção e toda a cooperação e meritório trabalho institucional, bem como todas as atividades e projetos do setor social deste município”.
“Esta Mostra Virtual vem mostrar e relembrar o sucesso das duas últimas edições, um trabalho de grande proximidade na comunidade com o objetivo de bem fazer pelo bem comum, atestado pelos momentos recentemente vividos no âmbito do COVID 19. A Rede Social esteve sempre presente nestes momentos difíceis de apoio e ajuda a quem mais precisou”, destacou ainda Maria José Coelho.
Na Mostra Social, o Município conta com as seguintes entidades parceiras: Agrupamento de Escuteiros 299 Mangualde; AMARTE; APPDA; Associação de Cegos e Amblíopes de Portugal – ACAPO; Associação de Promoção Social, Cultural e Desportiva de Fornos de Algodres; Rotary Club de Mangualde – Universidade Sénior; Associação De Solidariedade De Contenças de Baixo; Associação Social Cultural e Recreativa da Freixiosa; Centro Paroquial de Alcafache; Centro Paroquial de Cunha Baixa; Centro Paroquial de Santiago de Cassurrães; Centro Social Cultural Paroquial de Mangualde; Centro Social Paroquial de Abrunhosa-a-Velha; Centro Social Paroquial de Chãs de Tavares; Centro Social Paroquial de Fornos de Maceira Dão; Conferência S. Vicente de Paulo; Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação de Mangualde; EAPN – Portugal (Rede Europeia Anti Pobreza); Espaço de Reabilitação e Intervenção Psicoeducacioal – 5 Sentidos; Fraternidade Nuno Álvares; Grupo de Voluntariado da Liga Portuguesa Contra o Cancro – Mangualde; Instituto do Emprego e Formação Profissional – IEFP; Instituto Português do Desporto e da Juventude – IPDJ; Núcleo Pais em Rede – Mangualde; Obra Social Beatriz Pais, Raúl Saraiva; e Santa Casa da Misericórdia de Mangualde.

SITUAÇÃO ATUAL DO COVID-19 NO CONCELHO E O LARGO DA carvalha

IMG_20200604_174332
Nesta edição, além de nos dar conta do estado atual da situação no concelho de Mangualde, no que ao COVID-19 diz respeito, o Dr. Elísio Oliveira, Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, deu-nos uma breve imagem das obras que estão a ser realizadas no Largo da Carvalha.

RENASCIMENTO – Qual é o atual ponto de situação no concelho de Mangualde, em relação ao combate à pandemia do COVID-19?
DR. ELÍSIO OLIVEIRA –
Casos confirmados : 78
Recuperados: 59
Óbitos: 11
Casos ativos: 8

Felizmente não se têm registado casos novos e tem havido um número significativo de recuperações. A lamentar mais um óbito de um utente do lar de Santiago de Cassurrães.
Globalmente tem havido um grande civismo e um grande sentido de responsabilidade coletivo das pessoas e um elevado nível de cumprimento das recomendações da Direção Geral de Saúde. Há ainda situações onde é necessário melhorar, nomeadamente nos casos de ajuntamentos em zonas de lazer, de esplanadas etc, situação confirmada pela GNR, onde nem sempre é usada a máscara e onde por vezes o numero de pessoas é elevado.

RENASCIMENTO – Que medidas foram tomadas pela Câmara Municipal de Mangualde, no âmbito do coronavírus, a realçar nas últimas duas semanas?
DR. ELÍSIO OLIVEIRA – Nas últimos duas semanas temos a destacar no âmbito do desenvolvimento do nosso plano de apoio às Famílias, Instituições e Empresas as seguintes ações:

– Entrega de cerca de 150 cabazes com com bens alimentares, máscaras e gel desinfetante a famílias de alunos do escalão A.

– Entrega de computadores e outros equipamentos informáticos para apoio aos alunos de acordo com as prioridades definidas pela Direção do Agrupamento de Escolas de Mangualde, numa lógica de sociedade inclusiva e igualdade de oportunidades neste contexto de telescola em consequência do coronavírus.

-Entrega de mil equipamentos de proteção individual certificados e produzidos em Mangualde a 60 associações do movimento associativo de Mangualde, na altura em que estavam a retomar as suas atividades para o fazerem com segurança.

– Entrega de dois mil equipamentos de proteção individual, composto por máscaras comunitárias certificadas e fabricadas em Mangualde, gel desinfetante e batas para as cooperativas do concelho, nesta fase em que estão a começar as colheitas.

RENASCIMENTO – Além dos assuntos atrás abordados, os quais são de referência específica ao coronavírus, o Renascimento gostaria de abordar outros temas da gestão camarária, e que se localizam no dito  “largo das  Carvalhas”. Nesse espaço citadino, a Câmara Municipal de Mangualde está a levar a cabo um plano  Municipal que provocou de imediato, no seu início, a transplantação para outros locais, árvores centenárias. Não podemos esquecer que, para lá da citada transplantação, está-se a verificar um conjunto de operações, no contexto  da projeção e realização  do citado projeto,  que está afetar a atividade comercial, e não só, a própria mobilidade dos cidadãos e do tráfego nessa zona. Assim, sentimos a necessidade de lhe  colocarmos algumas questões

Como é que explica a necessidade de levar a cabo  um plano que obrigou à transplantação de árvores centenárias?
DR. ELÍSIO OLIVEIRA – O Largo da Carvalha, configura do ponto de vista urbano, uma boa oportunidade de regeneração e renovação.
Este espaço, hoje serve para pouco mais do que parque de estacionamento. É uma praça adormecida. Após intervenção manterá toda a capacidade de estacionamento, será inclusiva do ponto de vista da mobilidade e ficará dotado de polivalência para muitos eventos.
O campo de jogos existente, será reimplantado e beneficiado na sua polivalência desportiva junto da antiga escola (edifício das associações). Está previsto ainda um parque infantil, dotado de equipamentos lúdicos e pavimento de segurança e um espaço de lazer e atividades físicas interrelacionais, vulgarmente designado por “avós e netos” dotado de zonas de descanso e equipamentos de apoio ao exercício físico.
As vias confinantes deste espaço são beneficiadas com alargamento e repavimentação de passeios.
A cidade de Mangualde não tem no seu seio um espaço adaptado para eventos, de feiras, de exposições, de espetáculos musicais e culturais ao ar livre.
O Largo da Câmara tem servido para tudo, mas tem muitas limitações. O Largo da Carvalha tem potencialidades para ser reconfigurado para outros propósitos.
Os largos, as praças, os jardins, têm um papel fundamental na urbanidade da cidade. Potenciam a vivência coletiva, dão palco à vida social, às interações entre os indivíduos.
O Largo da Carvalha está a ser objeto de uma intervenção profunda, um investimento de 1,2 Milhões de euros.
A construção destas valências urbanas têm um sacrifício que foi o transplante de algumas árvores. De um total de 42 plátanos, foram transplantados 9, ou seja ainda ficam cerca de 80% .
Conseguimos assim compaginar uma grande intervenção urbana e ainda manter a esmagadora maioria das árvores.

RENASCIMENTO – Essas árvores, sabe-se, não foram cortadas, mas, sim, transplantadas para outras zonas. Quais foram as zonas escolhidas pela Câmara?  
DR. ELÍSIO OLIVEIRA – Tomámos a decisão de não cortar nenhuma árvore, que era o caminho mais fácil, mas sim de proceder ao seu transplante.
Atendendo ao risco da operação, dada a idade e o tamanho das árvores, foram transplantadas para um terreno da câmara, em que é fácil rega-las e estarem em vigilância permanente, onde temos instalações de apoio á atividade operacional e onde temos a estação de tratamento de águas da lavandeira. A boa noticia que lhe posso dar e demonstrar é que estão todas pegadas, estão bem vivas.

RENASCIMENTO – Será que  poderá ser compreensível,  para o cidadão comum, a necessidade da aplicação do citado plano?
DR. ELÍSIO OLIVEIRA -Para o cidadão comum e para o senso comum há uma clara perceção da falta de um espaço em perímetro urbano para realizar os eventos e as atividades que já referi. Depois da obra concluída e a funcionar, estamos convencidos que será compreensível, que o alcance da obra ficará claro. Que passamos a ter capacidade de resposta para um melhor desenvolvimento de atividades sociais, culturais e de lazer.
Temos consciência de que estamos a intervir num espaço com memórias, com ligações afetivas. Pretendemos conjugar a preservação desses laços com a construção de condições para as novas gerações, para novas vivências para novas emoções. Vamos ter um grande, renovado, e enriquecido espaço urbano. Temos que, respeitando o passado e a história, projetar a cidade para a modernidade e para o futuro. O ecossistema urbano tem que ter vigilância estratégica, visão global, acolher as novas tendências e necessidades de uma sociedade evolutiva, garantir condições de fruição pública. A arquitetura, o urbanismo e a natureza ficarão presentes nesta obra. A sua usabilidade e acessibilidade serão fortemente aumentadas.

RENASCIMENTO – A exploração das potencialidades do citado largo, com  benefícios para os cidadãos de Mangualde,   não poderiam ser obtidos de outra forma, ao ser desenvolvido outro projeto?
DR. ELÍSIO OLIVEIRA – Não tínhamos grandes alternativas. A política é feita de escolhas e de riscos. Analisando o contexto geral do nosso contexto urbano, não descortinamos melhor alternativa. Trata-se de um espaço público com uma dimensão razoável, potenciador de efeitos de regeneração urbana, pode induzir, por via da valorização do lugar que ocupa efeitos indutores de regeneração das casas do espaço envolvente. Podemos ter uma nova centralidade e uma cidade com melhor equilíbrio e novas dinâmicas. Por tudo isto estamos convictos que é o projeto certo e adequado aos objetivos que pretendemos alcançar.

RENASCIMENTO – Neste momento, adiantamos a seguinte interrogação, quais serão, verdadeiramente, os benefícios para os Mangualdenses, – entendendo estes  como os que são utentes, normalmente,  de um espaço urbano, ou os outros cidadãos, os   agentes de  atividades concretizáveis na citada zona –   da aplicação do citado plano?
DR. ELÍSIO OLIVEIRA – Os benefícios são os que decorrem da regeneração urbana, do combate à decrepitude das cidades, de uma cidade mais atrativa, com traços de arquitetura moderna, com condições de mobilidade para todos, com infraestruturas renovadas, com novos equipamentos urbanos, com iluminação moderna, com equipamentos de lazer e desporto para os jovens. É, ainda, a criação, como já referi, de condições de um espaço polivalente para múltiplas funções, nomeadamente feiras, espetáculos musicais e culturais, com WC públicos. Pode colocar-se facilmente uma grande tenda por exemplo, num espaço amplo com um piso nivelado.
Esta intervenção cria novas potencialidades para a dinamização e vitalidade da cidade.

RENASCIMENTO – À sua consideração, solicitamos-lhe que coloque uma ou mais questões se considerar que são pertinentes.
DR. ELÍSIO OLIVEIRA – Acabamos de concluir uma ação de plantação de 200 árvores e plantas ornamentais, no perímetro da cidade. Uma ação em que obtivermos o patrocínio de 10.000 euros da empresa Patinter.
Foram plantadas árvores no entorno da saída da A25 para a rotunda do 2CV. Foi plantado um parque de cerca de 80 árvores com mais de 3 metros de altura na parte abaixo da rotunda, em frente à Mazur, Brico-Azurara e Ferro-Mangualde. Reforçamos com dezenas de carvalhos o parque em frente ao cemitério. Colocamos árvores na entrada para Mangualde no cruzamento da Roda, no entorno da primeira rotunda da avenida da Sra. do Castelo e no entorno da rotunda do pastel de feijão, entre outras plantações.
Esta operação tem com objetivo promover um espaço urbano mais arborizado, mais convivial, mais atrativo e mais sustentável e compensar antecipadamente alguns ajustamentos de árvores que por vezes têm de ser feitos em consequência do desenvolvimento e otimização de projetos de regeneração urbana.

Município de Mangualde ADAPTA INICIATIVAS E PROMOVE PROGRAMA CULTURAL VERÃO 2020: Cinema DRIVE IN, “Voltas da Lua” e “Rotunda às Seis”

Face à situação atual, resultante dos efeitos da pandemia e das orientações governamentais e da Direção Geral da Saúde (DGS), a Câmara Municipal de Mangualde optou por adiar para 2021 os projetos anuais como o “Em Quarto Crescente” e “Itinerâncias da Lua”, “ALTO” e outras atividades, porque estas envolvem grandes públicos. Contudo, e de acordo com as mesmas orientações, junho será um mês de viragem para a cultura, prevendo-se o regresso gradual de eventos culturais. De acordo com as palavras da Ministra da Cultura devem ser privilegiados os eventos ao ar livre de menor dimensão, com regras apertadas, seguindo as recomendações da DGS.
Assim, e tendo em conta este contexto, desejando sempre proporcionar aos mangualdenses o acesso a eventos culturais num período de algum desalento, o Pelouro da Cultura, através da Biblioteca Municipal, propõe uma programação alternativa aos eventos adiados, com o objetivo de colmatar o vazio deixado. Esta programação passa pela realização de cinema Drive IN e pequenos concertos semanais realizados em locais apelativos, privilegiando artistas locais.

CINEMA DRIVE IN NOS DIAS 19 E 20 DE JUNHO, NA PRAIA DE MANGUALDE
Esta programação terá início já este mês de junho com a apresentação de Cinema DRIVE IN. A iniciativa desenvolve-se com a parceria da Associação Juvenil Jovens do Castelo que ajudará a garantir o cumprimento das regras emanadas pela DGS. A atividade será gratuita, terá lugar na praia de Mangualde, mais precisamente, no parque onde ocorre a feira quinzenal, e será realizada nos dias 19 e 20 de junho de 2020. Ambas as sessões terão início às 21:30h. O dia 19 de junho será dedicado às famílias e crianças, pelo que se escolheu a apresentação do filme “Heidi”. Já o segundo dia terá como público alvo os jovens e adultos com idade a partir dos 12 anos, pelo que se apostou no visionamento do filme “Novos Amigos Improváveis”.

“VOLTAS DA LUA”: CONCERTOS INTIMISTAS A 26, 27 E 28 DE JUNHO, NO JARDIM DA BIBLIOTECA
O regresso gradual e controlado a atividades culturais continuará a acontecer logo no fim de semana seguinte. Nos dias 26, 27 e 28 de junho serão realizados três concertos intimistas no Jardim da Biblioteca Municipal que constituem o “Voltas da Lua”. Estes decorrerão a partir das 22:00 horas num ambiente de café concerto, mantendo o registo a que a Biblioteca Municipal já nos habituou, mas com lotação limitada, lugares marcados, bilhetes de entrada, distanciamento de segurança e todas as normas exigidas pela DGS.

“ROTUNDA ÀS SEIS”: CONCERTOS DE FIM DE TARDE, NO CENTRO DA CIDADE, EM JULHO E AGOSTO
Para os meses de julho e agosto reservámos concertos ao fim da tarde que terão lugar no centro da cidade, todos os sábados a partir das 18:30 horas, para trazer a alegria e a vivacidade de que esta precisa. “Rotunda às seis” é o nome desse conjunto de concertos livres, que decorrerão num espaço visível mas delimitado, sem área para o público, com som projetado por todo o centro da cidade.

 VENHA DAR UM MERGULHO NAS PISCINAS EXTERIORES DE MANGUALDE RESPEITANDO SEMPRE AS REGRAS DA DIREÇÃO GERAL DE SAÚDE (DGS)

Os mangualdenses, e os demais visitantes, já podem usufruir, a partir de hoje dia 15, das piscinas exteriores do complexo das Piscinas Municipais de Mangualde. As piscinas vão estar abertas ao público até ao dia 30 de agosto, de segunda-feira a domingo (inclusive feriados), das 10h00 às 19h00.
É fundamental o respeito pelas regras da Direção Geral de Saúde (DGS), mantendo o distanciamento físico de 2 metros, cumprindo a etiqueta respiratória e respeitando a sinalética existente no local. A lotação máxima inicial é de 200 pessoas.
O preço das entradas é variável em função da faixa etária: crianças até aos 5 anos (grátis); crianças dos 6 aos 17 anos (3,15€/dia); a partir dos 18 anos (4,45€/dia); e reformados (2,85€/dia). Preços especiais para a aquisição de 10 entradas.
As piscinas exteriores situam-se num grande espaço relvado, com e sem sombra, e são compostas por uma piscina grande (35m x 12m e 480m2), um tanque infantil (19m x 8m e 152 m2), um tanque de receção (8m x 7m e 56m2) e dois escorregas. No espaço existe, ainda, um quiosque de apoio aos utentes.

UNIÃO DE FREGUESIAS DE TAVARES ASSINALOU DIA DA CRIANÇA

dav

dav


Respeitado o plano de contingência, mas não querendo deixar passar a data em branco, a União de Freguesias de Tavares, homenageou todas as crianças da freguesia, assinalando o Dia Mundial da Criança.
Neste sentido, e porque o Dia da Criança, 1 de Junho, era na 2ª feira, na tarde de domingo, dia 31 todas as crianças da freguesia foram brindadas com uma linda surpresa. O carro de combate a incêndios devidamente ornamentado, deslocou-se porta a porta e, pela mão do Presidente da União de Freguesias, Alexandre Constantino, as crianças foram brindadas com uma pequena lembrança que, a par dos balões, das cores e das presenças do Mickey e da Minnie, tornou este dia especial para os mais pequenos da Freguesia.

ENTREGA DE EQUIPAMENTOS INFORMÁTICOS PARA APOIO DO ENSINO À DISTÂNCIA NO ÂMBITO DO APOIO ÀS EMPRESAS, INSTITUIÇÕES E FAMÍLIAS

No seguimento da campanha “Somos todos #EscolaemCasa”, lançada pela autarquia em abril, o Município de Mangualde consolidou esta ação entregando mais equipamentos informáticos a alunos do concelho, de acordo com as prioridades definidas pela direção do agrupamento. Esta ação envolveu a entrega de cerca de 240 equipamentos, nomeadamente computadores, webcam, router internet, headphones, entre outro material informático.
O Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, Elísio Oliveira deixa mais uma vez “uma palavra de agradecimento a todos (associações, empresas e munícipes) que participaram na iniciativa de angariação de equipamentos informáticos, contribuindo generosamente e solidariamente para esta ação”. 
Recorda-se que esta campanha “Somos todos #EscolaemCasa” realizou-se em parceria com o Agrupamento de Escolas de Mangualde, a Associação Empresarial de Mangualde e as Juntas de Freguesia.

cÂMARA mUNICIPAL CONTINUA A ENTREGAR EPIs: dois mil equipamentos de proteção individual para as cooperativas do concelho

Entrega EPIs às Cooperativas (1)
Nesta terceira fase de desconfinamento, a Câmara Municipal de Mangualde continua a oferta de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e desta vez foi o sector cooperativo a receber da autarquia a oferta de cerca de dois mil EPIs, composto por máscaras comunitárias certificadas (laváveis e reutilizáveis) fabricadas em Mangualde e gel desinfetante.
A distribuição destes equipamentos, à Cooperativa Agrícola de Mangualde, Adega Cooperativa de Mangualde, COAPE e COOPBEI, contou com as presenças do Presidente e do Vice-presidente da Câmara Municipal de Mangualde, Elísio Oliveira e Rui Costa, respetivamente.
O objetivo é ajudar estas importantes instituições na retoma da sua normal atividade e reforçar, simultaneamente a importância que o movimento cooperativo no concelho.
De recordar que ainda esta semana, a autarquia entregou cerca de mil EPIs às associações e locais e, no mês de abril, efetuou a doação às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho. Na altura, foram doadas três mil máscaras, três mil luvas, seis mil aventais descartáveis e 14 termómetros eletrónicos sem contacto.

MANGUALDE OFERECE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL fabricado no concelho

Com as três Bandas Filarmónicas Locais
Cerca de mil máscaras comunitárias certificadas e gel desinfetante.
Agora, nesta terceira fase de desconfinamento, foi a vez do movimento associativo receber da Câmara Municipal de Mangualde a oferta de cerca de mil Equipamentos de Proteção Individual (EPI), composto por máscaras comunitárias certificadas (laváveis e reutilizáveis) fabricadas em Mangualde, para cerca de 60 Associações de Mangualde. Para além das máscaras, foi ainda oferecido gel desinfetante. O objetivo é ajudar estas importantes instituições na retoma da sua normal atividade e reforçar, simultaneamente a importância que o movimento associativo tem junto das populações, quer em termos culturais quer em termos desportivos e recreativos.
De recordar que, no mês de abril, a Câmara Municipal de Mangualde efetuou a doação de EPI às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho. Na altura, foram doadas três mil máscaras, três mil luvas, seis mil aventais descartáveis e 14 termómetros eletrónicos sem contacto.
Para Elísio Oliveira, Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, “estas ações ajudam as associações a regressarem à sua atividade normal, respeitando todas as regras de combate à propagação do vírus, mas valorizando o papel que estas têm na nossa sociedade. Ao adquirir estes equipamentos na indústria local estamos ainda a apoiar a nossa atividade económica, a qual sempre incentivamos a redirecionar a sua produção para estas novas necessidades do país e do mundo”. O presidente sublinha ainda que “a sociedade deseja retomar a sua atividade cultural, social, desportiva e recreativa e é fundamental que o regresso aconteça, mas sempre com os devidos cuidados.”