Arquivo mensal: Julho 2014

EDITORIAL Nº 644 – 1/8/2014

SR

Caro leitor
Existem mais, mas os três principais destruidores da nossa sociedade, são: a inveja, a maledicência e a droga.
Há pessoas que nascem e morrem sem fazer bem nem mal ao contrário de outras, que como não têm capacidade de ver sol, passam a vida só a olhar para aquele que trabalha sem cessar e, este invejoso como não faz nada, tem tempo para a maledicência e então inventa mil coisas só para tentar deitar abaixo os honestos, os trabalhadores, os competentes, os que tentam deixar este mundo melhor que o encontraram, isto em prol do mesmo e daqueles que os rodeiam. O que não faz nada, nem se ajuda a si, nem ajuda ninguém. Tenho e tenham pena deles. Deus lhes perdoe, porque Homem que é Homem faz outro Homem e não tem medo da sombra. Vamos tentar deixar melhor este mundo do que o encontramos, porque os nossos antepassados também assim o fizeram. Nós fomos feitos, mas o coração e o pensamento somos nós que o fazemos, ou bons ou maus, trabalhadores ou não, justos ou injustos, ninguém se esqueça que colhe o que semeia.
No último editorial falei do desenvolvimento de Mangualde, ou não. Vou aqui deixar à consideração do leitor outro assunto: a famosa fossa a céu aberto da Lavandeira. Já pagou grandes multas e foi feita grande propaganda para o Presidente atual ganhar a presidência. Quem não se lembra de grandes outdoors lá colocados, que era e é uma vergonha.
Quando já não há espaço para mais construção, o desenvolvimento de uma terra ou de uma cidade passa por a autarquia fazer estradas e ruas e incentivar o privado para continuar o desenvolvimento da mesma, e se analisarmos bem, outras cidades crescem sempre muito mais para os nós das autoestradas. Aqui em Mangualde, naquele local não foi o caso, precisamente por culpa daquela lagoa e cheiro nauseabundo. Perdeu-se naquela zona o desenvolvimento da cidade de Mangualde. Alguns habitantes desta zona, os poucos que lá existem, é como que foram enganados pelas promessas dos políticos ao comprarem a sua moradia, porque acreditaram que aquela situação vergonhosa e escandalosa mesmo a constituir perigo ambiental para Mangualde, ía ter remédio a curto prazo. O que não aconteceu. Louvo aqueles habitantes que são duma coragem extrema, mas não deixem de fazer reivindicações e abaixo assinados, estes a serem enviados para todos os órgãos de soberania, pois tem de ter uma solução à vista. O crime ambiental é punido e tem que ter solução. E desengane-se quem pense que a solução está para breve, pois ainda no início deste ano foram lá plantadas mais árvores, o que demonstra que é para continuar assim aquela vergonha. Quase metade duma cidade deitada ao abandono, ao esquecimento e ao seu destino escandaloso.
O vice-presidente da Câmara é engenheiro e manda na secção de obras, quem sabe, até ele poderá oferecer o projeto para a nova Etar.
Vamos à luta, ninguém se cale, que eu também assino o abaixo assinado.
Um abraço amigo,

GINASTAS MANGUALDENSES EM FESTIVAL EUROPEU

De 11 a 19 de julho, 20 ginastas da Classe de Ginástica do Agrupamento de Escolas de Mangualde representaram o concelho no Festival Jovem de Ginástica para Todos – Eurogym 2014. A 9ª edição deste festival decorreu em Helsingborg, na Suécia, e foi a 2ª vez que este grupo participou. A animação e a boa disposição reinavam entre os alunos mangualdenses.
Tornar-se assinante para continuar a ler…

BREVE APONTAMENTO DA HISTÓRIA DO VINHO

juiz
Ao falarmos de vinho, não podemos deixar de recordar a Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro, também conhecida por Real Companhia Velha, criada pelo Marquês de Pombal na segunda metade do século XVIII. Foi fundada em 1756 e detinha o exclusivo da produção e distribuição dos vinhos da região demarcada do Douro, os conhecidos vinhos do Porto, concedendo-lhe a isenção de impostos no comércio e nas exportações.
Tornar-se assinante para continuar a ler…

SANFONINAS

dr. jose

O interesse dos estudos regionais e locais
Sempre houve por parte das universidades – e, mais recentemente, também no âmbito das escolas de ensino básico e secundário – a preocupação de, em determinadas áreas, como a da História, da Geografia e da Etnografia, levarem os seus estudantes a olhar com mais atenção para o meio em que viviam e elaborarem sobre ele os seus trabalhos escolares.
Tornar-se assinante para continuar a ler…

BASES DO EQUILÍBRIO ALIMENTAR

dr. raul
O equilíbrio alimentar é uma palavra que, muitas vezes, não significa nada de concreto.
Repousa sobre:
– uma igualdade entre os gastos energéticos e a entrada de alimentos que trazem essa energia;
– uma boa repartição das proteínas, dos lípidos e dos glúcidos na alimentação;
– e o esquecimento de um certo número de ideias feitas tais como “o pão faz engordar e, portanto, não devo comê-lo”.
A base do equilíbrio alimentar constrói-se do seguinte modo:
– tomando três refeições por dia;
– comendo de tudo, segundo o apetite;
– comendo somente quando se tem fome ou ainda tem fome;
– comendo somente quando se está sentado à mesa, com um prato, uma colher, um garfo, e uma faca;
– nunca comendo na rua;
– não comendo entre as refeições.
O movimento é essencial: deve mexer-se o máximo possível – quanto mais se fica imóvel, ou sentado (quer numa cadeira, quer numa viatura), menos energia se gasta.
O desequilíbrio alimentar e o sedentarismo estão (entre outros) na origem do aumento de peso levando, passo a passo, à obesidade. E a obesidade é nociva à saúde.
Portanto, o desequilíbrio alimentar e o sedentarismo são nocivos à saúde.
Os alimentos devem ser bem repartidos.
Cada refeição deve conter:
Glúcidos – quer dizer, os alimentos que os contêm:
Pão – ao pequeno almoço, almoço e jantar;
Pastas, arroz, batatas, legumes secos – ao pequeno almoço e jantar.
A energia fornecida pelos glúcidos é rapidamente disponibilizada. É dispensada, em permanência, pelo corpo, apesar deste possuir reservas muitos escassas (200 a 300 g). Daí a necessidade importante dos glúcidos: 50 % das calorias diárias.
Lípidos – em quantidades limitadas:
– um alimento rico em lípidos somente a cada refeição;
– controlar os corpos gordos.
A energia fornecida pelos lípidos não é utilizada imediatamente, é armazenada no organismo, nas reservas do tecido adiposo. Ela é utilizada quando falta a energia glucídica: na sequência de um esforço longo (ténis, bicicleta, jogging, etc.) ou em caso de déficit global de energia (regimes hipocalóricos, jejum). As calorias fornecidas pelos lípidos devem corresponder, somente, a 30 a 35% do total.
Proteínas – as proteínas ao se degradarem quando são usadas, fornecem energia:
– um ou mais alimentos ricos em proteínas a cada refeição.
As proteínas devem ser responsáveis por 12 a 15% das calorias diárias.
Todo o equilíbrio alimentar assenta na assimilação, nas proporções precisas, de proteínas, glúcidos e lípidos, em função dos gastos energéticos.
A diversidade da alimentação é própria dos regimes equilibrados. A mobilidade completa esse equilíbrio
E-mail: amaralmarques@gmail.com
Blog: https://amaralmarques@blogspot.com

INAUGURADA REQUALIFICAÇÃO DO CAMPO CONDE DE ANADIA

63344
Teve lugar no passado dia 19 de julho, pelas 18h00, a inauguração da requalificação do Campo Conde de Anadia, presidida por João Azevedo, autarca da Câmara Municipal de Mangualde e pelo Presidente do Conselho de Administração da Fundação Desporto, Carlos Marta. Esteve ainda presente Elísio Carneiro, vice-presidente da Federação Portuguesa Futebol e Ricardo Lopes, Presidente do Grupo Desportivo de Mangualde.
Tornar-se assinante para continuar a ler…

mangualde celebra Festa do Emigrante

A Câmara Municipal de Mangualde promove, no próximo dia 3 de agosto, a Festa do Emigrante no Largo das Carvalhas. Trata-se de uma Festa Popular para os emigrantes e para todos os mangualdenses, cuja entrada é livre. O encontro começa pelas 18h00 e continua pela noite dentro. A iniciativa, da organização da Câmara Municipal de Mangualde, tem o apoio da Associação Mangualde Azurara e das Marchas da Freguesia de Abrunhosa-a-Velha.
Tornar-se assinante para continuar a ler…