Arquivo mensal: Fevereiro 2016

NÃO HÁ PAI

teatro1 teatro2 teatro3 teatro4 teatro5 teatro6 teatro7 teatro8 teatro10

Na noite do passado dia 26 de fevereiro o Auditório do Complexo Paroquial foi pequeno para acolher o tão grande número de pessoas que ali se deslocou para assistir à peça de teatro “Não há pai”.

A lotação esgotou e muitos foram os que gostariam de ter estado presentes mas não o conseguiram por já não haver bilhetes disponíveis.

A peça, que contava no seu elenco com Tozé Martinho, fez a delícias dos mais de 350 espectadores.

GNR

Imagem2

 

APREENSÃO DE PELE DE LEOPARDO

O Núcleo de Proteção Ambiental do Destacamento Territorial da Guarda Nacional Republicana de Viseu, no dia 24 de fevereiro de 2016, em São Pedro do Sul, no âmbito do comércio ilegal de espécies protegidas, procedeu à apreensão de uma pele de leopardo.

A mesma encontrava-se à venda na Internet por um valor muito inferior ao valor de mercado, em virtude de se tratar de uma espécie protegida.

Foi elaborado um auto de contraordenação ao proprietário, ficando este obrigado a comprovar a origem da pele apreendida.

 

JANTAR CONVÍVIO DA FAMÍLIA MACÁRIO

No dia 27 do corrente mês (próximo sábado), irá realizar-se mais um jantar de primos da “Família Macário” originária de Róriz, freguesia de Pindo, concelho de Penalva do Castelo, no Restaurante Palmeira, sito em Bodiosa, Viseu.

Contará este evento com a participação de primos residentes em vários países da Europa, onde têm o seu trabalho e negócios, que se deslocarão a propósito do acontecimento.

Esta Família embora tenha negócios na cidade de Mangualde e vila de Penalva do Castelo, a veia empresarial se expande pela Suiça, mais concretamente em Neuchâtel. Em Portugal e fora do distrito de Viseu, Santa Maria da Feira, também consta na expansão de negócios. Desde o ramo mobiliário, fabrico e comercialização, venda de electrodomésticos, design e engenharia civil até à exploração de posto de combustíveis.

Família reconhecida pela tradição de convívio familiar, iniciada pelos seus antepassados, as novas gerações primam pela sua preservação, orgulhosos do feito, fazem com que diversas áreas profissionais e de formação superior se reúnam em confraternização: empresários, engenheiros, profissionais de saúde, estudantes de medicina, gestores, não faltando os funcionários públicos, etc.

MANGUALDE APOSTA EM atividades desportivas e lúdicas NAS FÉRIAS DA PÁSCOA

Férias Desportivas destinam-se a crianças e jovens entre os 8 e os 14 anos

 

28 de março a 1 de abril, Piscinas Municipais de Mangualde

Inscrições de 1 a 18 de março

Durante as férias da Páscoa, a Câmara Municipal de Mangualde promove mais uma edição das Férias Desportivas. A iniciativa decorre de 28 de março a 1 de abril, das 9h00 às 17h30, e destina-se a crianças e jovens entre os 8 e os 14 anos de idade.

Durante esta semana, vai ser possível participar em diversas atividades desportivas e lúdicas, tais como atividades aquáticas, jogos desportivos, workshops, jogos tradicionais, peddy paper, visita à Serra da Estrela, visita ao Estádio da Luz e museu Cosme Damião e cinema.

Todos os interessados podem-se inscrever-se de 1 a 18 de março, nas Piscinas Municipais de Mangualde ou através do email desporto@cmmangualde.pt ou do telefone 232 619 820. Para a realização das atividades o limite mínimo de inscrições é de 15 e o máximo de 35. O preço da semana é de 40,70€ e inclui duas refeições (almoço e lanche).

CONCERTO DE PÁSCOA EM MANGUALDE

concerto

CONCERTO INSERE-SE NA PROGRAMAÇÃO «PÁSCOA EM MANGUALDE 2016»

É ESTREIA IBÉRICA: «A PAIXÃO DE CRISTO»

19 MARÇO, 21H15, IGREJA DO COMPLEXO PAROQUIAL DE MANGUALDE

O Concerto de Páscoa em Mangualde é uma estreia ibérica. «A PAIXÃO DE CRISTO» de Józef Elsner terá lugar no dia 19 de março, pelas 21h15, na Igreja do Complexo Paroquial de Mangualde, e conta com as participações da Orquestra Filarmonia das Beiras e do Coro da Sé Catedral do Porto.

A entrada é livre e insere-se na programação «Páscoa em Mangualde 2016», uma organização conjunta da Câmara Municipal de Mangualde e da Paróquia de Mangualde.

 

PENALVA DO CASTELO – FESTA DO PASTOR E DO QUEIJO

Feira do queijo (5)

Feira do queijo (10)

Feira/Festa da Pastor e do Queijo celebrou as bodas de prata

A vila de Penalva do Castelo assinalou mais uma edição da Feira/Festa do Pastor e do Queijo. O evento congregou algumas dezenas de produtores de queijo que assim tiveram oportunidade de divulgar, promover e vender um dos produtos de excelência do concelho.

A iniciativa realizou-se durante dois dias, sábado e domingo, e congregou produtores/engarrafadores de Vinho “Dão de Penalva”, a FELBA (Promoção das Frutas e Legumes da Beira Alta) com Maçã Bravo de Esmolfe, uma exposição de artesanato e produtos regionais e locais, além de atividades: culturais, musicais, recreativas e desportivas.

O dia 13 teve início com a atuação do Grupo da Casa do Povo de Esmolfe, seguindo-se um momento de dança e a atuação do Rancho Folclórico de Penalva do Castelo.

A tarde começou com a participação da Associação Rio Côja, seguindo-se as Concertinas do Dão e a presença do artista nacional Augusto Canário e Amigos que animaram os muitos presentes no recinto.

No dia 14 de manhã, subiram a palco a Tuna Realense e o Grupo de Cantares de Pindo. Nos Paços do Concelhos, a Banda Musical e Recreativa recebeu as entidades convidadas a estar presentes nos 25 anos da Feira/ Festa do Pastor e do Queijo, que seguidamente se deslocaram até ao recinto da feira.

Na sessão de abertura, foi sublinhada a singularidade desta Feira/Festa, bem como a importância das atividades da pastorícia e da produção artesanal de queijo no desenvolvimento socioeconómico e cultural do concelho.

O Presidente da Câmara Municipal, Francisco Carvalho apresentou como prioridade a criação de uma queijaria municipal e armazém de produtos agrícolas na Zona Empresarial Sezures – Esmolfe, de forma a proporcionar aos pequenos produtores adequadas condições de laboração do queijo. Apelou à Sr.ª Ministra para agilizar o projeto da recuperação dos Antigos Paços do Concelho. Salientou que …“o mais difícil já está feito, quero apenas os despachos necessários para que a loja do cidadão seja uma realidade em Penalva do Castelo, mantendo todos os serviços públicos num só edifício.” Terminou enfatizando ainda o trabalho empenhado dos pastores e dos produtores de queijo do concelho e todos aqueles que colaboram com estas iniciativas.

A Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Dr.ª Maria Manuel Leitão Marques expôs algumas das medidas que o governo tem em funcionamento para ajudar os pequenos produtores. Referiu- se a uma das preocupações dos produtores de queijo que está na utilização do cardo no seu fabrico, coagulante vegetal natural, cuja utilização na feira do ano anterior estava em causa devido a diretivas comunitárias. Este ano a Ministra da Presidência referiu que “…tudo leva a crer que, em breve, o cardo seja incluído na lista do regulamento comunitário e vai poder continuar a ser usado pelos queijeiros na produção artesanal, segundo o caderno de especificações de queijo Serra da Estrela” a aprovar muito em breve.

A habitual prova de queijo, oferta da Autarquia, foi um dos momentos altos da feira, onde penalvenses e forasteiros puderam provar/degustar o Queijo, Vinho “Dão de Penalva”, Broa e a Maçã Bravo de Esmolfe em ambiente de salutar convívio.

No domingo, o Município surpreendeu todas as senhoras com a oferta de uma flor, de forma assinalar a efeméride “Dia dos Namorados”.

No edifício dos Antigos Paços do Concelho esteve patente uma Exposição de trabalhos escolares relativos à “XXV Feira / Festa do Pastor e do Queijo”.

Paralelamente à Feira, os Bombeiros Voluntários de Penalva do Castelo realizam, no domingo, um Passeio BTT – Rota do Queijo alusivo ao evento.

Esta Feira/Festa é uma aposta da Câmara Municipal na promoção da economia local e na divulgação do património, cultura, gastronomia, turismo e outras potencialidades do concelho, que ganhou amplitude nacional e internacional, no domingo, com a emissão televisiva, de seis horas, do programa televisivo “Somos Portugal”, da TVI.

CONSELHO REGIONAL

conselho regional

O presidente do Conselho Regional do Centro, João Azevedo, considerou como “histórica” a reunião em Castelo Branco no passado dia 15 de Fevereiro, com os anúncios de investimento nas linhas da Beira Baixa e da Beira Alta.

Em declarações comunicação social, João Azevedo classificou a reunião como “histórica” pelos anúncios de investimento na ferrovia efetuados pelo Governo.

Até que enfim que o Governo respondeu aos anseios das gentes da região Centro pela decisão que tomou. Foram anunciados em Castelo Branco, os investimentos que vão ser feitos na ferrovia, na linha da Beira Alta e da Beira Baixa, que são as mais prioritárias e que reforçam a importância da região Centro e do seu tecido empresarial“, afirmou.

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, anunciou em Castelo Branco a eletrificação da linha da Beira Baixa, entre Covilhã e a Guarda, que irá permitir uma ligação da região ao corredor internacional de mercadorias.

O governante adiantou que o investimento global para as ferrovias está desenhado para os próximos cinco a seis anos, num investimento que terá apoio comunitário superior a mil milhões de euros, cujo investimento global anual será na ordem dos 460 milhões de euros e irá criar ao longos destes anos 6.500 postos de trabalho.

Adiantou ainda que a eletrificação da linha entre a Covilhã e a Guarda, é uma das ligações prioritárias para as obras do chamado corredor norte, que irá criar condições para mais rapidamente fazer as obras na linha da Beira Alta.

O autarca de Mangualde, que também preside ao Conselho Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro disse que esta é uma “decisão corajosa” que representa “uma recuperação do tempo perdido“.

Durante anos ficamos à espera que a decisão fosse tomada e hoje, foi tomada. Foi anunciada pelo ministro Pedro Marques e reforçada pelo ministro Adjunto Eduardo Cabrita“, sustentou.

Quanto às questões relacionadas com a rede rodoviária, o presidente da Câmara de Mangualde, João Azevedo disse que a resposta dada pelo secretário de Estado das Infraestruturas, “foi muito clara e objetiva: não há capacidade financeira para o fazer“.

Este é o discurso que pretendemos, verdadeiro, claro, de compromisso para deixarmos de fazer reuniões de ‘power point’. Não havendo dinheiro, não pode haver obra“, concluiu.