Arquivo mensal: Outubro 2018

EDITORIAL Nº 741 – 1/11/2018

serafim tavares
Caro leitor

A 1 de agosto de 2018, quando escrevi o editorial agora colocado aqui ao lado deste, foi um sinal claro que não apoiava nem me revia nesta direção do PSD. “E quem mal nasce, mal acaba”, diz o povo e com razão.
Esta direção foi atrás da pessoa que Soares Marques mais detestou e com o burburinho ajudou que Soares Marques perdesse a eleição a Presidente de Câmara em 2009, tanto trabalho em vão e logo este Presidente atual, que é sobrinho do mesmo Dr. Soares Marques. Não há decência nem escrúpulos.
A 1 de agosto não me revia nesta direção local, agora, nem a nível nacional e à semelhança de outras figuras de Mangualde que deixaram de aparecer digo adeus ao PSD. Vou devolver assim o meu cartão de militante e ter de volta a minha liberdade que tanto prezo.
Não vou falar mais do PSD. Morreu ou está moribundo, porque no dia 27 deste mês de outubro de 2018 houve um plenário para militantes, um fracasso total, não fosse mais de uma dúzia de jovens a sala estava deserta, e procurei ao Presidente Luís Amaral se tinha convidado grandes homens do PSD local, disse que sim que tinha convidado e procurei por: Dr. Sérgio Monteiro, Dr. Soares Marques, Dr. Sobral Abrantes, Dr. Aníbal Maltez, Carlos Lopes ex Secretário de Sérgio Monteiro no governo, Bruno Paiva ex presidente da JSD e ex Tenente do Exército Português, Drª. Patrícia Fernandes. Na verdade disse que lhes tinha endereçado o convite, mas nenhum destes compareceu. É simples de entender, porque não se revêem no rumo desta direção. Porquê? Porque querem impor um candidato que tanto prejudicou o PSD local. Foi fabricado no corredor da amizade, que em política não existe amizade, e sem uma sondagem aos mangualdenses a debandada se verá.
Viva a liberdade.
E obrigados pela retirada da confiança política. Obrigado mesmo.
Viva a liberdade.
Queriam uma empresa de informação a trabalhar só para eles a custo zero.
Liberdade sempre.

Abraço amigo,

“EDITORIAL DE 1 DE AGOSTO DE 2018
Nº 736
Caro leitor
Quero dizer que não serei mais candidato político a coisa alguma, pois da forma que atualmente é feita política, não me revejo na intriga, na maledicência, no insulto barato, no bota abaixo aquele ou aquela porque nos pode fazer frente. São assim 98% dos atuais chamados políticos.
Os que sempre rastejaram umas migalhas e nada fazem, são esses que têm todo o tempo do Mundo para enterrar os vivos e desenterrar os mortos, como diz o povo e com razão.
Vou assumir assim o mandato de deputado que os mangualdenses me confiaram. Estarei assim atento na defesa do superior interesse de todos os mangualdenses. Sou um cidadão atento e com a ajuda de muitos cidadãos que me fazem chegar os seus descontentamentos.
Estarei firme e convicto do superior interesse de Mangualde. Nunca pensei em tachos como alguns, porque também nunca tive necessidade deles. Venci na vida mas por mérito próprio, ou seja, com muito trabalho, porque entendo também, que só o trabalho dignifica o Homem, ao contrário de outros que querem e desejam ser reconhecidos por nada terem feito nem por eles, nem por Mangualde. Nada. Só Deus sabe. De repente têm só um objetivo, conseguir à custa dos Mangualdenses aquilo que nunca conseguiram – ficar governados, porque projetos para Mangualde não se vê e nada se vai ver. Ainda há outros que se vendem por um prato de lentilhas para comerem no mesmo tacho. Não me revejo neste filme. Sou livre como os passarinhos e continuarei a sê-lo.
Desejo a todos os leitores, colaboradores e anunciantes umas ótimas e boas férias. A 1 de setembro cá nos voltaremos a encontrar se Deus quiser.
Abraço amigo,”

O jurista e escritor António Meneses Cordeiro, no Manual Universitário Direito do Trabalho referiu que:
“um homossexual não será a pessoa indicada para vigilante noturno num internato de rapazes”
“uma recém-casada não pode ser contratada como modelo”
“um alcoólico fica mal num bar”
“com um tuberculoso numa pastelaria ou com um esquizofrénico num infantário”
“Não vale a pena fazer apelos ao politicamente correto, nem crucificar os estudiosos que se limitem a relatar o dia-a-dia das sociedades: o Direito vive com factos e não com ideologias”
“Se eu não tiver uma boa constituição física não posso ser estivador”
“os guardas prisionais das prisões femininas são mulheres”
“nos aeroportos, nas zonas de segurança, a mulher não é apalpada por um homem”

Subscrevo totalmente o exposto, dizendo que faltou acrescentar que um candidato a Presidente não deve ser isto tudo e muito menos com processos em tribunal, drogado, bêbedo ou falido e que também não exerça violência doméstica.

Com a presença da campeã olímpica, Rosa Mota foi inaugurada requalificação do PAVILHÃO MUNICIPAL DE MANGUALDE

44532961_1998220066904164_807923575041294336_o
Decorreu na noite da passada sexta feira, dia 19 de outubro, a cerimónia de inauguração das obras de requalificação do Pavilhão Municipal de Mangualde. A sessão contou com a participação de vários clubes e associações desportivas do concelho e nela foi prestada uma homenagem a vários atletas e treinadores de Mangualde. Também a maratonista Rosa Mota esteve presente.
Tornar-se assinante para continuar a ler…