Inédito de Maximiano de Aragão

Foto
Encontra-se já em fase de impressão o inédito de Maximiano de Aragão- “ Liquidação de uma Dinastia” cuja apresentação pública está prevista para Janeiro do ano 2020.
Maximiano de Aragão cuja obra, mais de vinte volumes publicados, tem como palco Viseu cidade que amava e tinha como pátria. Nasceu na pequena aldeia de Fagilde ( Mangualde) em 1853 e faleceu em Viseu em 1929.
A sua vida, portanto, desenvolve-se na segunda metade do século XVIII e princípios do sec. XX.
O Sec. XIX em que viveu quase cinquenta anos e os quase tinta do sec. XX, deram-lhe um enquadramento extraordinário para o desenvolvimento da sua escrita.
Vejamos: o seculo XVIII procurou contrariar a decadência literária do “ Barroco “do Sec. XVII;
o Sec. XIX abandonou os ideais neoclássicos; Almeida Garrett introduziu o “ Romantismo”, seguido por Alexandre Herculano, e outros escritores; na segunda metade do Sec. XIX desenvolveu-se o “Realismo” com Eça de Queiroz, Ramalho Ortigão e Camilo Castelo Branco.
Só no sec. XX aparecem novas tendências representadas por Fernando Pessoa e outros autores nossos contemporâneos.
Ora , Maximiano de Aragão, nascido no Sec. XIX, não podia estar melhor acompanhado, recebendo concerteza as influências dos seus contemporâneos. Camilo Castelo Branco ( 1829/1890), Eça de Queiroz (845/1900), Alexandre Herculano (1810/1877), Antero de Quental (1842/1891), Fernando Pessoa (1888/1935), Teófilo Braga (1843/1924), António Felicinano de Castilho (1800/1875), Cesário Verde (1855/1886), António Nobre (1867/1900), Aquilino Ribeiro (1885/1963), Miguel Torga (1907/1995), Tomás Ribeiro (1831/1901) e outros mais …
Época fantástica da nossa literatura, melhor companhia e enquadramento não podia ter.
O inédito de Maximiano de Aragão, que brevemente verá a luz do dia – Liquidação de uma Dinastia – trata da Batalha da Alcácer Kibir, da morte e aparecimento do Rei D. Sebastião e da perda da independência de Portugal.
Maximiano de Aragão amava a cidade de Viseu e a cidade agradece e retibui esse amor.
Mas, Maximiano de Aragão, não nos podemos esquecer, nasceu aqui em Fagilde, Concelho de Mangualde que o honrou dando o seu nome a uma rua da cidade.