SANFONINAS

dr. jose
O eucalipto é meu; o sobreiro do neto será!

Quando estive de professor na Escola Profissional de Santo António em Izeda, no ano lectivo de 1963-64, levava os meus ‘correços’ ao rabisco da castanha e da uva e, na aula, em jeito de lição por essas andanças nos soutos e nas vinhas já vindimadas, falava-lhes de um provérbio que por lá aprendi: «Oliveira do meu avô, castanheiro do meu pai e vinha minha».
Tornar-se assinante para continuar a ler…