Vai aqui uma açorda!


“O pão nosso de cada dia nos dai hoje…” É com esta oração que os cristãos recordam dia após dia que não somos criaturas auto-suficientes, que todos os dias precisamos de nos alimentar. Uma prece semelhante à imploração de um mendigo, um grito muitas vezes abafado, de muitos homens e mulheres que não pedem apenas o “meu”, mas sim o “nosso” alimento, o mais básico de todos e que pode até ser o único em muitas mesas.
As carências da sociedade, bastante fragilizada por uma pandemia que se arrasta, foram amplificadas com a guerra entre a Russia e a Ucrânia, dando continuidade a um ciclo de subida de preços generalizado. No caso particular dos cereais, o verdadeiro problema pode mesmo vir a ser a escassez do produto, levando à procura de outras soluções.
Muitos desconheciam que a Ucrânia é e será sempre um dos maiores produtores de cereais do Mundo, porque tem as condições ideais e isso ninguém lhes tira, consigam eles manter as suas fronteiras e as suas terras. Mas por enquanto, os stocks de trigo existentes nos portos Ucranianos estão a ser bloqueados e pilhados, como se tivessemos recuado ao tempo dos Vikings. A situação de guerra, as sanções impostas pela UE à Rússia, implicam que esta também deixe de ser uma opção no fornecimento de cereais, que em conjunto com a Ucrânia, representavam 30% das exportações mundiais de trigo e cevada.
Portugal produz apenas uns quantos grãos de trigo, face à necessidade. É altamente dependente da importação e apesar do aumento da área semeada nos últimos anos, os resultados tardam e dependem sempre das negociações da Política Agrícola Comum. A ambição é que a produção nacional satisfaça pelo menos 40% da necessidade a médio prazo. Há quem defenda que a cultura de cereais em Portugal é altamente sustentável, amiga do ambiente, geradora de muita mão-de-obra e que promove a economia circular. No sentido oposto, outros afirmam que a cultura intensiva de cereais, em particular a do trigo, é uma das culturas que mais contribui para a degradação dos solos e dos recursos naturais, pois a dimensão das propriedades em Portugal não permitem a prática do pousio.
Os tais grãos de trigo que conseguimos produzir, poucos, mas de qualidade, são essencialmente na região do Alentejo. No Alqueva, dá-se preferência a culturas permanentes, como o olival e outras culturas mais rentáveis, onde somos competitivos. O Governo lança programas para tentar reduzir a dependência externa, mas Portugal não tem dimensão para produzir em larga escala, para abastecer as industrias que dela necessitam. Apesar de ser uma cultura de Inverno, as condições climatéricas obrigam a regar as plantações, aumentando os custos de produção, tornando-as pouco rentáveis. a ser um luxo nos dias que correm.

CONSULTÓRIO

AMIGDALITE
O que sabe sobre a Amigdalite (ou as anginas)?
A Amigdalite não é, geralmente, uma doença grave, mas pode vir a sê-lo!
E pode ser tão dolorosa que se pode tornar angustiante!
Vermelha ou branca, viral ou bacteriana., a amigdalite é uma das principais causas de consulta médica.
Deve preferir-se o nome de Amigdalite ao de Angina por esta se referir, quase sempre, à Angina pectoris que está relacionada com a dor do enfarte do miocárdio
A Amigdalite, por vezes, pode levar à cama com uma febre forte, uma dor de garganta tão intensa que o tentar deglutir a própria saliva pode ser extremamente penoso. É este o quadro de uma Amigdalite que é muito frequente nas crianças, mas em que os adultos não estão, de modo nenhum, afastados.
O que é, afinal, uma Amigdalite?
Existem vários tipos de Amigdalite, doença caracterizada por uma inflamação da garganta. A diferença entre Amigdalite vermelha ou branca, que define a cor da garganta doente, não corresponde a duas doenças em particular, porque várias de entre elas podem criar uma ou outra das cores. Em ambos os casos, domina a dor de garganta, que pode ser muito intensa, com dificuldades na deglutição, febre e, muitas vezes, dor de cabeça. Outros tipos de amigdalite podem acompanhar-se de sintomas de coriza, ou de vómitos.
Mas o que conta é a diferença entre a Amigdalite de origem viral e bacteriana: em primeiro lugar porque o tratamento não é o mesmo, mas também porque uma das anginas bacterianas, a causada pelo Estreptococo hemolítico do grupo A, pode causar complicações graves, nomeadamente ao nível do coração e dos rins.
Como se trata uma Amigdalite?
O tratamento principal de uma angina é o dos sintomas: desde medicamentos para fazerem baixar a febre e diminuir a dor, a desinfectantes para a garganta. A maior parte das vezes são o suficiente. Os gargarejos de água morna com bicarbonato, sal ou outro desinfectante ajudam muito.
Os antibióticos apenas têm indicação no caso de uma amigdalite de origem bacteriana, que pode ser facilmente diagnosticada por um exame bacteriológico feito ao exsudado da garganta, através de uma zaragatoa.
Se o médico prescrever um antibiótico é importante cumprir o tratamento na íntegra e não parar porque os sintomas desaparecem. Parar precocemente um antibiótico é a melhor maneira de criar bactérias resistentes.
Existe uma precaução particular no caso das crianças?
Se a prescrição de antibióticos não é automática, mesmo no caso das crianças, a consulta médica deve sê-lo. É importante que o médico possa determinar a presença eventual do Estreptococo na garganta e, assim, possa prescrever o antibiótico adequado ao caso.
Como é que se apanha uma Amigdalite?
Apanha-se-se por contacto directo ou por projecção de gotículas infectadas.
A regra, se não está doente, é evitar o contacto e lavar frequentemente as mãos se uma pessoa do seu ambiente familiar está doente.
Para os doentes é também importante lavar as mãos mas, sobretudo, tapar o nariz e a boca sempre que tosse ou espirra.
O uso de máscara, agora tão necessária por causa da Pandemia a SARS Cov2, ajuda muito na prevenção da doença.
No caso de uma angina bacteriana, a tomada dos antibióticos diminui o período de contágio da doença.

O momento político

Na reunião de 20-4-2022 foi analisada a prestação de contas de 2021 e que mereceu da nossa parte a abordagem que seguidamente se descreve.
Como nota introdutória é fundamental referir e reforçar a importância de dois documentos fundamentais, designadamente a Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro e a Lei n.º 73/2013, de 03 de setembro, documentos estes que vieram implementar regras claras na gestão das autarquias e que nos princípios fundamentais referidos, entre outros, estão o princípio da legalidade, da transparência, da estabilidade orçamental e também o princípio da autonomia financeira, que devem ser observados, não podendo ser assumidos compromissos que coloquem em causa a estabilidade orçamental, quanto ao endividamento e limite de dívida há alerta precoce dos desvios e a responsabilidade financeira do órgão executivo, dirigentes e outros colaboradores, estão associado o que significa que esta lei, desde 2013, veio precisamente estabelecer um conjunto de regras,que impedem as “contas erradas” e obrigam à existências das “contas certas” sob pena de responsabilização civil e criminal.
O atual órgão executivo não teve participação ativa quer no orçamento, quer nas Grandes Opções do Plano(GOP) , exceto nos últimos três meses do ano. No entanto, fizemos uma análise de alguns aspetos. Começamos por mencionar os valores constantes da já transcrita informação pela chefe da divisão financeira, em regime de substituição, que salienta os factos mais importantes constantes dos documentos de prestação de contas, nomeadamente no balanço, na demonstração de resultados, na demonstração dos fluxos de caixa e na demonstração do desempenho orçamental. Depois realçamos que, quem analisa estes documentos, comparativamente com documentos anteriores, fica com uma sensação de que facilmente os consegue interpretar, porque são claros, são transparentes e não existem dúvidas, realçando também o papel importante na elaboração dos documentos com dados fornecidos e preparados pela divisão financeira e da assessoria que presta apoio a esta autarquia, justificando que há situações, no que respeita a avenças, que também se deve e pode falar pela positiva, e sem nunca esquecer o papel dos colaboradores da área financeira. Referimos também que o sistema de normalização contabilística para a administração pública (SNC-AP) veio uniformizar procedimentos e melhorar a transparência nas contas, sendo algo que facilmente se verifica nos documentos apresentados. Dissemos importar, também, referir o resultado líquido de 2020, que foi de 1 492 866,88 € (um milhão quatrocentos e noventa e dois mil oitocentos e sessenta e seis euros e oitenta e oito cêntimos) e isto significa que, comparativamente a 2020, há mais um milhão de euros de outros gastos, há gastos com o pessoal de 6 653 551,55 € (seis milhões seiscentos e cinquenta e três mil quinhentos e cinquenta e um euros e cinquenta e cinco cêntimos). Em outros gastos há um acréscimo de 261,89%, o nível de execução financeira anual é de 63,30% e o nível de execução financeira global é de 65,46%. Quanto a procedimentos de concursos públicos, ajustes diretos e consulta prévia, houve seis concursos públicos de empreitadas de obras públicas, no valor de 2 835 070,97 € (dois milhões oitocentos e trinta e cinco mil setenta euros e noventa e sete cêntimos), aquisição de serviços - dois, no valor de 1 058 047,72 € (um milhão cinquenta e oito mil e quarenta e sete euros e setenta e dois cêntimos), aquisição de bens - três, no valor de 433 560,00 € (quatrocentos e trinta e três mil quinhentos e sessenta euros), ajustes diretos empreitadas - quatro, no valor de 110 881,84 € (cento e dez mil oitocentos e oitenta e um euros e oitenta e quatro cêntimos), aquisição de serviços - vinte e um, no valor de 411 749,25 € (quatrocentos e onze mil setecentos e quarenta e nove euros e vinte e cinco cêntimos), aquisição de bens - cinco, no valor de 480 405,91 € (quatrocentos e oitenta mil quatrocentos e cinco euros e noventa e um cêntimos), consulta prévia empreitadas – quatro, no valor de 478 338,00 € (quatrocentos e setenta e oito mil trezentos e trinta e oito euros), aquisição de serviços – vinte e três, no valor de 135 975,00 € (cento e trinta e cinco mil novecentos e setenta e cinco euros), aquisição de bens – quatro, no valor de 216 026,52 € (duzentos e dezasseis mil vinte e seis euros e cinquenta e dois cêntimos. Empréstimos bancários no global – catorze a médio e longo prazo, no valor de 14 488 631,92 € (catorze milhões quatrocentos e oitenta e oito mil seiscentos e trinta e um euros e noventa e dois cêntimos), Nos rendimentos, impostos diretos e indiretos, 20 034 455,94 € (vinte milhões trinta e quatro mil quatrocentos e cinquenta e cinco euros e noventa e quatro cêntimos), sendo que os diretos no âmbito da derrama foram 307 422,02 € (trezentos e sete mil quatrocentos e vinte e dois mil e dois cêntimos), no IMI 2 054 491,97 € (dois milhões cinquenta e quatro mil quatrocentos e noventa e um euros e noventa e sete cêntimos), no IUC 467 250,99 € (quatrocentos e sessenta e sete mil duzentos e cinquenta euros e noventa e nove cêntimos). Outros subsídios indiretos, na água 3 069 405,30 € (três milhões sessenta e nove mil quatrocentos e cinco euros e trinta cêntimos), Realçamos ainda a nota 17 do relatório que refere que o impacto orçamental da despesa é questão conjuntural que não coloca em causa o desenvolvimento da atividade municipal, sendo que, relativamente à pandemia é referida esta nota, porém, tendo para nós uma leitura, um pouco diferente, porque eventualmente a atual conjuntura da pandemia e da guerra poderão criar algum “frisson” neste processo. Dissemos, ainda, existir algo que importa realçar quanto ao fornecimento de serviços externos, no valor de 5 189 598,00 € (cinco milhões cento e oitenta e nove mil quinhentos e noventa e oito euros), serviços especializados 1 828 450,68 € (um milhão oitocentos e vinte e oito mil quatrocentos e cinquenta euros e sessenta e oito cêntimos), trabalhos especializados 871 695,00 € (oitocentos e setenta e um mil seiscentos e noventa e cinco euros). A nível de execução financeira anual é de 63,30%, o nível de execução financeira global é de 65,46%, em outros gastos há um acréscimo de 261,89%, gastos com pessoal um acréscimo de 4,15%, em outros rendimentos há um acréscimo de 46,40%, e comparativamente, a dívida total é de 6 281 763,37 € (seis milhões duzentos e oitenta e um mil setecentos e sessenta e três euros e trinta e sete cêntimos), um aumento dos encargos de 2020 para 2021 na ordem dos 31%, o decréscimo dos proveitos na ordem dos 13,60%,. Na transferência de subsídios concedidos em despesas orçamentadas 1 224 130,00 € (um milhão duzentos e vinte e quatro mil cento e trinta euros), despesas autorizadas 990 235,66 € (novecentos e noventa mil duzentos e trinta e cinco euros e sessenta e seis cêntimos), despesas pagas 940 575,06 € (novecentos e quarenta mil quinhentos e setenta e cinco euros e seis cêntimos). Entretanto referimos que normalmente nas dívidas a terceiros, antiguidades de saldos e respetivos prazos, o prazo médio é inferior a noventa dias decorrente da legislação, porém verificamos existir uma situação em que esse prazo é superior a 365 dias, no valor de 57 840,00 € (cinquenta e sete mil oitocentos e quarenta euros) respeitante a aquisição de bens e de capital, questionando a que se refere. Também na dívida a terceiros, por antiguidade, no curto prazo existe uma exceção e questionamos porquê, porque o prazo deveria ser de noventa dias. No âmbito da questão de outros gastos com um acréscimo de 261,89%, questionamos se existe indicação a que refere e também no apoio judiciário onde aparece o valor de 17 212,61 € (dezassete mil duzentos e doze euros e sessenta e um cêntimos).
Comparativamente a 2020 há resultado líquido inferior, menos rendimentos e gastos,menos receitas com impostos, mais prestação de serviços, mais fornecimentos de serviços externos, mais provisões e mais outros gastos.
Assim, desde 2013, a legislação impõe regras claras na gestão das autarquias relativamente aos compromissos assumidos, estabilidade orçamental, endividamento, limite de dívida e à responsabilidade financeira do órgão executivo, dirigentes e outros colaboradores
Foi esta a abordagem efetuada à prestação de Contas do ano 2021.

Presidente da República reuniu com Autarcas


A convite de Sua Excelência, o Presidente da República, Prof. Marcelo Rebelo de Sousa, o Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, Marco Almeida, participou no Encontro com Autarcas que decorreu em Lisboa no passado dia 31 de maio.
Esta iniciativa visou estabelecer um momento de partilha entre o Presidente da República e os Presidentes de Câmara Municipal, no qual foi destacada a crescente importância do Poder Local na promoção da coesão nacional e as virtudes decorrentes da proximidade que mantém com as populações e da maior eficácia na aplicação dos recursos.
Para Marco Almeida, a disponibilidade manifestada pelo Senhor Presidente da República e as palavras de incentivo e motivação que dirigiu aos Presidentes de Câmara, são a demonstração de que as Autarquias desempenham um papel fundamental no desenvolvimento do País e na promoção do bem-estar dos cidadãos, assim lhes sejam transferidas as competências e meios adequados para o cumprimento da sua missão.

UNIÃO DE FREGUESIAS DE TAVARES PROMOVEU VISITA À FEIRA NACIONAL DA AGRICULTURA 2022


De 4 a 12 de junho, decorreu no Centro Nacional de Exposições em Santarém a 58ª Feira Nacional de Agricultura, depois do interregno a que foi obrigada, devido à pandemia COVID19. Assim, retomando também um hábito de anos anteriores, a União de Freguesias de Tavares, promoveu no passado dia 5, uma visita a este grande certame nacional.
Pelas 7h00 daquele dia, partiu o autocarro da localidade de Chãs de Tavares, rumo a Santarém. No Centro de Exposições, local onde decorreu a feira, o dia foi livre para cada um visitar tudo o que fosse possível, desde exposições de raças nacionais de vacas, cabras, ovelhas e porcos, produtos nacionais de qualidade, animação e novas tecnologias para a atividade agrícola entre muitas outras coisas.
“Inovação e Tecnologia”, foi o tema da edição deste ano, e assim, as novidades dirigidas à agricultura, por forma a torná-la um setor dinâmico, moderno e que se vê em constante evolução, eram o mais apreciado.
A Feira contou ainda, com um espaço dedicado ao programa Portugal Sou Eu, que visa o incremento da produção nacional e proporcionou ao consumidor o acesso a alguns dos melhores produtos nacionais – Azeites, Queijos, Enchidos, Doces, Méis, entre outros.
A edição 2022 da FNA foi inaugura pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no dia 4, numa visita demorada que passou por todos os espaços deste que é sem dúvida, o maior certame nacional dedicado ao sector agrícola.

CRISMAS NO CONCELHO DE MANGUALDE


Os passados dias 4 e 5 de junho foram dias de Crismas no concelho de Mangualde.
Foram mais de uma centena os jovens que receberam o Sacramento da Confirmação pela mão de S. Exª. Revmª D. António Luciano, Bispo de Viseu.
À Sua chegada, D. António Luciano foi agraciado com um ramo de flores e em breves palavras, saudou todos os jovens presentes pelo importante passo que estavam a dar, salientando no amor, a solidariedade e a paz.
Já na sua homilia D. António Luciano destacou o papel dos jovens na atualidade, principalmente, como construtores do amanhã.
A finalizar, e porque este ano de 2022 se vive de forma particular como ano de preparação para as Jornadas Mundiais da Juventude 2023, a cerimónia encerrou com o Hino das JMJ cantado por todos em ambiente de festa e alegria.
De referir que, o dia 5 foi reservado aos crismandos da Paróquia de Mangualde, enquanto que, no dia anterior, haviam recebido o Crisma, os jovens das restantes paróquias do concelho.
Um momento que ficará para sempre marcado na vida de todos que, assim, alcançaram mais uma etapa na vivência cristã.

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE CHÃS DE TAVARES


Na noite do passado dia 28 de maio, o Centro Social Paroquial de Chãs de Tavares deu início à celebração do seu 25º aniversário, que terá lugar a 12 de maio de 2023.
Será um ano repleto, um ano cheio de vivências que ficará certamente na memória de todos.
A iniciar este bonito ano de comemorações, teve lugar um jantar onde o tema central foi a palavra GRATIDÃO, nessa noite, expressa de forma particular às Colaboradoras, à Direção, a todos os Beneméritos, Elisa e Mário Lemos, Augusta e Virgílio, José Lemos, Ana Sousa, João e Américo, à Célia Morais, à Comissão da Igreja, à Dra. Maria José Coelho, vereadora do Município de Mangualde, ao Dr. Alexandre Constantino e toda a sua equipa da União de Freguesias de Tavares, ao Chef Luís Ângelo e sua Equipa Confraria de Pais 299 e Agrupamento de Escuteiros 299 que, primorosamente, confecionaram o jantar, ao Técnico Bruno e seus colaboradores, aos parceiros que diariamente estão presentes e ao Sr. Padre António Clementino, Presidente da Instituição.
Além das palavras de gratidão, mais que merecidas, houve ainda lugar a oferta personalizada comemorativa do momento.
A noite terminou com sentida oração a Nossa Senhora, como agradecimento por tudo quanto o Centro tem realizado, bem como, com sinal de esperança para o futuro, assente em três princípios que têm sido a identidade visual da história desta Instituição:
“- 25 anos a alimentar um sonho - aprimorando todos os dias a valorização de todas as nossas colaboradoras, são elas que tem alimentado este sonho no verdadeiro sentido da palavra.

  • 25 anos a preencher espaços vazios - direcionados para os nossos utentes e seus familiares onde temos colmatado a solidão que múltiplas razões deixam em suas vidas. Minimizar este vazio será sempre a nosso horizonte.
  • 25 anos a ouvir e a dizer Obrigado - que tem sido a ponte entre o passado e o presente e que condensa o que acreditamos ser um dos maiores bens da nossa Instituição, a Gratidão.”

O Centro Social Paroquial de
Chãs de Tavares
O Centro Social Paroquial de Chãs de Tavares, está localizado na localidade de Chãs de Tavares - União das Freguesias de Tavares e foi fundado pelo Sr. Padre Júlio Rodrigues Pereira. Por iniciativa da Fábrica da Igreja Paroquial de Chãs de Tavares, foi criado como pessoa coletiva em 1995 e começou a prestar os primeiros serviços em Maio de 1998. É uma Instituição de cariz social que presta Serviço de Apoio Domiciliário (SAD), não só na localidade de Chãs de Tavares, como também em localidades próximas.
O serviço é realizado de forma individualizada e personalizada de acordo com as necessidades de cada utente, porque os utentes, são a razão de ser destas Instituições.

MILHARES DE CRIANÇAS CELEBRARAM O DIA DA CRIANÇA COM MUITA ANIMAÇÃO EM MANGUALDE


No passado dia 5 de junho, para celebrar o Dia Mundial da Criança, o Município de Mangualde promoveu várias atividades de animação e diversão, sendo que o ponto alto foi o concerto memorável do Avô Cantigas que fez a delícia de pequenos e graúdos. Milhares de crianças, acompanhadas das suas famílias, invadiram o Monte da Nossa Senhora do Castelo para desfrutarem de um dia de animação. As iniciativas, de entrada livre, iniciaram-se pelas 10h30 e prolongaram-se até às 17h30. O momento contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, Marco Almeida, e do Vereador da Educação, Rui Costa.
De forma a proporcionar um dia especial aos mais novos, a Câmara Municipal de Mangualde preparou um programa cheio de animação e diversão para assinalar o Dia Mundial da Criança: Danças Nancy (Centro de Estudos Musicais Nancy); Hip Hop (Instituto de Artes Musicais - IAM); Atividades e jogos lúdico desportivas; Concerto Avô Cantigas; insufláveis; pinturas faciais; modelagem de balões e muita diversão.
Muitas foram as famílias que aproveitaram, levaram as merendas e fizeram um piquenique, desfrutando assim o dia em pleno junto dos que mais amam.

MANGUALDE CELEBRA DIA INTERNACIONAL DOS ARQUIVOS COM PROGRAMA DE ATIVIDADES


Como forma de assinalar o Dia Internacional dos Arquivos – 9 de junho, o Município de Mangualde, através da Biblioteca Dr. Alexandre Alves e do Arquivo Municipal, promoveu uma mostra de documentos do fundo do Arquivo Municipal, do dia 7 até hoje, 15 de junho. Estas ações na Biblioteca Municipal, pretendem destacar a importância dos arquivos como património cultural e como uma das principais fontes de informação.
A exposição englobou alguns documentos da coleção do Arquivo Municipal de Mangualde, que estiveram patentes na sala de leitura da Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves, para poderem ser vistos pelos utilizadores do espaço.
Os visitantes puderam observar algumas preciosidades do Arquivo Municipal, entre as quais: Forais manuelinos (Terras de Azurara e Tavares), registo das Provisões, Alvarás e Cartas de Privilégio, registo das Posturas e Regulamentos Municipais, termos de denúncia por infrações de posturas da Câmara, registo dos indivíduos que foram presos, registo de despesas com presos, mandados de captura, processos de investigação, entre muitos outros documentos.
Paralelamente, ainda no âmbito das celebrações da efeméride, com o objetivo de cativar os mais novos para a importância da informação contida nos documentos de Arquivo e o seu valor para História, em particular para a história local, foram dinamizadas diversas oficinas dirigidas às crianças do 1º Ciclo:
“Escrita com Pena”, “Oficina do escrivão” e “Historiador por um Dia”

DIA INTERNACIONAL DOS ARQUIVOS
O Dia Internacional dos Arquivos, celebrado a 9 de junho, foi instituído pela Assembleia Geral do CIA – Conselho Internacional de Arquivos, realizada no Québec, em novembro de 2007. Esta data foi escolhida por ter sido neste dia, em 1948, que a UNESCO criou o CIA – Conselho Internacional de Arquivos. O Dia Internacional dos Arquivos pretende destacar a importância dos arquivos como património cultural e como uma das principais fontes de informação. Os arquivos fornecem evidências significativas para o desenvolvimento económico, político, social e cultural da humanidade, fontes importantíssimas para a construção da História.